quarta-feira, 29 de junho de 2011

Sopa, molho, chá e até sangue


Eventualmente sofro acidentes porque tenho também o hábito de comer lendo. Já encharquei um livro com sopa, enruguei outro com o conteúdo inteiro de uma xícara de chá e manchei páginas com molho ferrugem. Tá bom ou querem mais? Embora o acidente seja de outra área, já cortei o dedo na própria folha e manchou de sangue. Isso significa que literalmente os livros já têm o meu sangue! E casos como esses são os que eu lembro agora, mas foram incontáveis os incidentes similares.
Tudo isso porque não dissocio mais o ato de ler com o de comer. Talvez por morar sozinha, acho chato sentar direitinho, sem companhia, à mesa para as refeições. Vejo filmes em que os protagonistas comem em pé, escorados na pia da cozinha. Que coisa mais sem graça! E, na verdade, acho isso muito pior do que fazer a refeição comodamente sentado, ao mesmo tempo em que se lê alguma coisa. Ou seja: faço da refeição um prazer ainda maior. Deve ser por isso que estou sempre precisando começar uma dieta...
Mas a verdade é que tenho este hábito desde criança. Meus pais reclamavam, proibiam e ensinavam, mas eu reincidia e chegava todos os dias para o almoço com um livro sob o braço. E quem herda não furta, diz o ditado, meu super hiper mega avô fazia o mesmo. Ele conseguia ler um jornal tamanho standard e ouvir as notícias pelo rádio enquanto comia sem sequer sujar o bigode. Mas ele era um profissional, eu continuo amadora. Minha admiração era tanta que incorporei o hábito e, na casa dele, eu lia à mesa sem sofrer recriminações.
Levando em conta que é um costume tão antigo, eu já deveria estar mais safa e não deixar isso acontecer, mas o maior problema é a total distração e o envolvimento com o texto. E claro que tem a contrapartida: já perdi a conta das vezes em que, totalmente absorta, queimei a língua porque não reparei que a comida ainda estava quente demais.
E entre mortos e feridos, salvamo-nos todos.

Em tempo: a imagem é de uma bandeja de leitura em acrílico transparente que permite ao usuário ler e comer sem sujar a revista ou livro. Criação do designer coreano Yu-Hu Kin, que também já deve ter sofrido acidentes....

4 comentários:

naomemandeflores disse...

Eu também costumar comer e ler ao mesmo tempo quando morava sozinha. É quase uma outra pessoa (ou várias) comendo com a gente, né?

Adorei a bandeja, mas acho que teria preguiça de tirar o livro toda hora dela, para virar a página!


Camila Faria

Cecilia Nery disse...

Que interessante, Denise. Sabe que considero você "a leitora" ideal? Porque você se envolve com a leitura de tal forma que não se importa se os livros vão sair inteiros dela. Aliás, quanto mais eles estiverem danificados, mais vão imprimir a sua leitura. Muito bom! Bjs.

Denise disse...

Se é ideal eu não sei, querida, mas que eu me envolvo, isso é verdade. E os livors que mais amei são os mais "sofridos" da minha estante...beijão

lilly disse...

Oi Denise!me lembrei agora de uma cena do filme PROCURA-SE UM AMOR QUE GOSTE DE CACHORROS.
a protagonista diane lane, come frango diretamente da panela, escorada na pia!
acho um desperdicio de comida
ainda mais se vc fez uma comida gostosinha, quentinha...que merece sere degustada.
se for sentar-se a mesa, porfque não colocar uma toalhinha?
e se for comer no sofá, uma bandejinha é mais comodo.
mas degustar uma coimidinha bem feita folheando uma revista ou lendo um bom livro sem duvida torna o momento agradavel
concordo com vc em tudo!
comer e ler são dois prazeres!

Bjs

*´¨)
¸.•´¸.•*´¨) ¸.•*¨)
(¸.•´ (¸.•` *Lilly
http://blogdareforma.wordpress.com
e
http://coisadelilly.wordpress.com